SEJA UM ASSOCIADO
É FÁCIL.
É ACESSÍVEL.
É AMIC.
jul
28

Do campo para a mesa: o trabalho indispensável dos agricultores

Para eles, não existem feriados, finais de semana, “muito cedo” ou “muito tarde”. O trabalho é direto, de domingo a domingo, sem regalias – ainda mais durante o período de plantio ou colheita. Tudo feito com muito amor e dedicação pelos agricultores. No dia 28 de julho, é celebrado o Dia do Agricultor, atividade essencial para a sobrevivência humana. É do campo que saem hortaliças que nutrem, algodão que veste, etanol que abastece, entre tantas outras matérias-primas que fazem parte do dia a dia.

Entretanto, engana-se quem pensa que o trabalho da agricultura é apenas preparar a terra, plantar e colher. As habilidades de um agricultor vão além das ciências agrárias: é preciso saber gestão de pessoas, administração e finanças, entender e conhecer o mercado agrícola e aprender a lidar com as adversidades, principalmente relacionadas às condições climáticas.

Falando em adversidades... Desse assunto, o “seo” Lírio Guerra entende bem! Empreendedor e sócio proprietário da Agrícola Alvorada, em Cascavel, atua há mais de 30 anos com a venda de insumos agrícolas para produtores rurais da região. Nestes anos, pode acompanhar dezenas de transformações do setor agro, desde as técnicas básicas de manejo às imensas máquinas do campo. 

“Tenho muito orgulho de trabalhar para a agricultura. Os produtos hortifrutigranjeiros que os produtores plantam e colhem são essenciais para a sobrevivência de todos nós. Saber que uma parcela da contribuição do alimento que chega até a casa das pessoas vem através do meu trabalho é muito gratificante”, orgulha-se Lírio. 

Mesmo diante das dificuldades que a agricultura enfrenta, como o excesso de seca ou de chuva, ele não desanima. 

“Como nossa região é bem adversa, cerca de 70% das áreas plantadas de hortifruti possuem o sistema de cobertura ou estufas apropriadas para manter os produtos protegidos do sol ou da chuva, garantindo uma boa produção no ano inteiro”, explica o empresário rural.

Uma realidade que, segundo o presidente da AMIC (Associação de Microempresas e Empresas de Pequeno Porte do Oeste do Paraná) e consultor de negócios, Sandro Viapiana, ensina lições importantes para todo e qualquer empreendedor.

“No empreendedorismo, a resiliência faz parte do cotidiano. Muitas vezes, as coisas saem do planejado; o empresário perde controle sobre fatores externos como economia, clima e saúde... É preciso pensar rápido para agir rápido. O agricultor, de forma geral, tem isso enraizado dentro de si. Quem trabalha no campo sabe que não pode esperar tudo estar favorável para dar o próximo passo: é preciso ter coragem para avançar e resiliência para saber a hora de recuar”, indica Sandro.

Assim como na vida de Lírio, perseverança, força de vontade e coragem fazem parte da rotina de milhares de agricultores brasileiros. Somente na temporada 2019/2020, por exemplo, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), projetou mais de R$704 bilhões para o VBP (Valor Bruto de Produção Agropecuária) no País. Um número recorde, que mostra a pujança do setor, mesmo em tempos de pandemia.  Resultados que, todos os dias, são semeados, cultivados e colhidos em prol do desenvolvimento do Brasil.

 

Crédito da foto: Acervo pessoal Lírio Guerra